1

Atualmente existem mais ferramentas, por isso recomendamos que cada equipa editorial investigue e procure as que melhor de adaptarem às suas necessidades. Além disso, as possíveis conversas com os participantes realizam-se através da plataforma OJS.

2

Inicialmente pensámos usar Trello mas depois de ler e ouvir as recomendações de Stepienybarno sobre eficiência e produtividade para arquitetos, decidimos usar esta ferramenta de gestão. Como indicámos acima, recomendamos sempre dar uma vista de olhos a todos os disponíveis para ver quais se podem adaptar melhor às necessidades de cada projeto.

3

O potencial desta ferramenta é importante porque podemos vinculá-la a outras aplicações caso seja necessário e sempre dentro de uma lista fornecida pelos desenvolvedores.

Era uma vez… uma revista científica (IV)

CC0 Public Domain. Grátis para uso pessoal e comercial. Não é necessário fazer nenhuma atribuição na Fonte: https://pxhere.com/es/photo/944569

Era uma vez… A irrupção da internet conduziu a certas mudanças, que afetam não só a um único âmbito dos meios, mas também à maneira como nos relacionamos e nos comunicamos interna e externamente. Estes avanços tecnológicos têm a principal virtude de reduzir “distâncias”, permitindo que nos organizemos e nos conectemos em tempo real dentro da comunidade.

 

Estes novos modelos de ligação interna incorporaram-se na gestão da nossa pequena comunidade, formada pelos membros da equipa editorial, leitores e participantes, onde cada um encontra e emprega o mais adequado.

 

Atualmente, é imprescindível que todas as empresas tenham uma ligação fluida com todos os membros que a compõem, seja em entidades maiores ou mais pequenas. Numa revista científica como a VAD. veredes, arquitectura y divulgación, a maior parte da comunicação interna centra-se dentro da equipa editorial, formada pelos membros do comité científico e concelho assessor, e todos coordenados pela editora chefe.

 

  • “O Comité Científico contribui no meio académico nacional e internacional para a divulgação da revista, os seus números, convocatórias e eventos internacionais, e também estabelece ligações com reconhecidos investigadores e outras instâncias académicas para a identificação de possíveis colaboradores, como avaliadores, editores e cronistas, entre outros.”

 

  • “O Conselho Consultivo terá como principal missão garantir o controlo de qualidade do conteúdo da revista e contribuir na definição da política editorial.”

 

Para realizar e manter este diálogo fluido prolongado no tempo, no qual todos os membros se podem expressar e debater ideias de forma simples e permanente, usamos a ferramenta Google Groups, por vários motivos:

  1. Simplicidade; admite qualquer e-mail.
  2. Permite que os membros do grupo acedam, comentem e acompanhem as linhas de trabalho no horário que quiserem, pois tudo fica registado de maneira ordenada.
  3. Adapta-se às necessidades1 (às que temos atualmente, uma vez que não são questões que necessitam ser resolvidas ao momento).

 

Todas as tarefas realizadas por cada um dos membros, bem como outras questões e/ou projetos associados a ferramentas como calendário, coordenação de número, índices, pressão, envios, projetos de melhora, indexações, etc.

De que maneira as podemos organizar?

Fácil! Usamos uma ferramenta digital gratuita, Asana.2 Este espaço de trabalho permite-nos conhecer e ter atualizadas de maneira hierarquizada todas as tarefas e projetos em curso.

Este controlo3 é muito importante porque nem todos os projetos e/ou tarefas em curso têm os mesmos timmings, processos e/ou imprevistos, portanto, requerem a criação de um histórico que permita a qualquer membro (ou pessoa designada) saber, de forma simples, o estado e a situação do projeto e/ou tarefa correspondente.

 

Esperamos que esta breve abordagem através deste caso particular sirva para relembrar o nono mandamento:

«Aprenderás a usar as ferramentas digitais próprias do teu tempo.»

Enunciado no decálogo del arquitecto productivo, e convém ter tudo claro para podermos ser eficientes e produtivos.

 


Era uma vez…

Esta série pretende reunir o processo realizado para implementar a revista científica VAD. veredes, arquitectura y divulgación. Descrever-se-ão os processos realizados, para que qualquer leitor (ou pessoa interessada) possa implementar (com sucesso) uma publicação periódica em formato digital –revista científica ou e-p-journal –. Tentar-se-á seguir a ordem utilizada, mas, como podem imaginar, alguns processos são paralelos e/ou dependentes de outros.
** A colaboração de Silvia Blanco, de todos os membros de fazem parte do comité científico, conselho consultivo, arbitragem externa e do nosso querido informático DAO foi imprescindível.

Veja artigos relacionados:

Texto traduzido por Inês veiga.
Notas de página
1

Atualmente existem mais ferramentas, por isso recomendamos que cada equipa editorial investigue e procure as que melhor de adaptarem às suas necessidades. Além disso, as possíveis conversas com os participantes realizam-se através da plataforma OJS.

2

Inicialmente pensámos usar Trello mas depois de ler e ouvir as recomendações de Stepienybarno sobre eficiência e produtividade para arquitetos, decidimos usar esta ferramenta de gestão. Como indicámos acima, recomendamos sempre dar uma vista de olhos a todos os disponíveis para ver quais se podem adaptar melhor às necessidades de cada projeto.

3

O potencial desta ferramenta é importante porque podemos vinculá-la a outras aplicações caso seja necessário e sempre dentro de uma lista fornecida pelos desenvolvedores.

Autor:
Arquitecto autónomo y no colegiado (@AAlonsoOro), que compagina la labor de editor en veredes, arquitectura y divulgación (@veredes) con las tradicionales de arquitectura. En 2019, lanza VAD. veredes, arquitectura y divulgación es una revista científica internacional de periodicidad semestral y formato digital y físico que pretende ser un canal de difusión de trabajos y reflexiones centrados en la cultura, la teoría y el proyecto de arquitectura.

Deja un comentario

Tu correo no se va a publicar.

Últimos posts