1

 

 

2

Atualmente existem diferentes meios para estar em dia e aceder aos resumos das publicações que realizam (notas eletrónicas, administrar listas de leitura, etc.)

3
4

Conscientemente não diferenciei entre papel ou rede porque ambos formatos já coexistem. Também não há intenção de realizar um percurso histórico pelas mudanças que se produziram devido ao aparecimento da internet.

Era uma vez… uma revista científica (I)

Era uma vez… foi um clássico televisivo que fez com que o público infantil, através das suas personagens (Coronel Pierrot, Mestre, etc.) ficasse viciado na “história” através de desenhos animados que combinavam entretenimento e divulgação com base em dados com rigor histórico e científico.

Embora já tenham passado uns quantos anos, a série infantil criada por Barillé1 continua vigente graças à sua colaboração com profissionais e instituições de prestigio tais como Alexander Dorozynski ou Joel de Rosnay, presidente do CNRS, e usou as ferramentas de comunicação para aproximar o conhecimento e a sociedade.

Comunicar e divulgar conhecimento é, em modo geral, complicado, sobretudo quando nos restringimos a um campo concreto do mesmo, e quando o conteúdo se circunscreve. Embora nos dias de hoje a proliferação de meios para a divulgação tenha aumentado, a literatura científica é complexa.2 Atualmente, e apesar de muitas revistas serem de acesso livre, existem bases de dados e catálogos online e digitais que facilitam a procura, mas têm como contraponto o pagamento de uma assinatura.

comunicação científica tem sido tradicionalmente realizada através da publicação de artigos em revistas especializadas em papel, até surgir a rede, e esse novo meio multiplicou as opções de partilha e acesso ao conhecimento. Esta irrupção também criou a necessidade de implementar novas ferramentas de controlo, produção e divulgação. Em termos gerais, as revistas são o meio de comunicação e divulgação por excelência do conhecimento científico e servem de base para futuras investigações.

Pode-se dividir as revistas em dois grupos: as ‘académicas’ e as ‘profissionais’. A revista académica contém trabalhos cuja informação vai dirigida principalmente à comunidade científica e académica correspondente. Estas revistas caracterizam-se por terem uma periodicidade, arbitragem, comité editorial, etc.3 O outro grupo é composto pelas revistas profissionais, cujo público e conteúdo são profissionais do setor para os manter informados sobre os diferentes avanços que se estão a realizar.

A diferença fundamental entre estes dois grupos de revistas é fundamentalmente a ausência de procedimentos formais de revisão nas que são “profissionais”. Não é necessário interpretarmos isto como conteúdo de maior ou menor qualidade… afinal, quantos blogs/plataformas existem atualmente que são relevantes? Simplesmente, o público ao que se dirigem é diferente, mais especializado.4

Dentro da revista académica são as revistas científicas que se centram na ciência e contêm artigos científicos, as quais iremos desenvolvendo pouco a pouco. Neste contexto surge, em 2019, a VAD, veredes, arquitectura y divulgación como consequência de veredes, um projeto dedicado à divulgação da cultura arquitetónica iniciado em 2010.

Apesar do objetivo das revistas científicas seja “comunicar” o resultado das investigações realizadas por pessoas ou grupos, é, por isto, necessário classificar os diferentes campos para que os investigadores possam encontrar e situar os artigos. Neste caso, a nomenclatura usada é a da UNESCO, e coloca a arquitetura dentro de:

– 5506 História: por especialidades: História da arquitetura.

– 6201 Arquitetura: Design arquitetónico, Jardins e parques, Urbanismo.

Assim, após esta aproximação e depois de nos situarmos perante este novo desafio, temos muito caminho pela frente dentro deste campo… Era uma vez...


 

Esta série pretende reunir o processo realizado para iniciar a revista científica VAD. veredes, arquitectura y divulgación. Descrever-se-ão os processos realizados para que qualquer leitor (ou pessoa interessada) possa implementar (com êxito) uma publicação periódica em formato digital – revista científica ou e-p-journal –. Tentar-se-á seguir a ordem usada, mas todos sabem que alguns processos são paralelos e/ou dependem de outros.
É imprescindível a colaboração que realiza Silvia Blanco, e todos os membros que compõem o comité científico, os assessores, a arbitragem externa e o nosso querido informático DAO.
Veja artigos relacionados
Imagem: CC0 Public Domain
Texto traduzido por Inês Veiga
Notas de página
1

 

 

2

Atualmente existem diferentes meios para estar em dia e aceder aos resumos das publicações que realizam (notas eletrónicas, administrar listas de leitura, etc.)

3
4

Conscientemente não diferenciei entre papel ou rede porque ambos formatos já coexistem. Também não há intenção de realizar um percurso histórico pelas mudanças que se produziram devido ao aparecimento da internet.

Autor:
Arquitecto autónomo y no colegiado (@AAlonsoOro), que compagina la labor de editor en veredes, arquitectura y divulgación (@veredes) con las tradicionales de arquitectura. En 2019, lanza VAD. veredes, arquitectura y divulgación es una revista científica internacional de periodicidad semestral y formato digital y físico que pretende ser un canal de difusión de trabajos y reflexiones centrados en la cultura, la teoría y el proyecto de arquitectura.

Deja un comentario

Tu correo no se va a publicar.

Últimos posts