Jaume Prat avatar

#EscalaHumanaTVE, 2ª temporada

 

Núria Moliner num dos episódios da segunda temporada de Escala Humana.

Todas as segundas-feiras às 20:00 a partir de dia 13 de janeiro no canal 2 da TVE, Espanha. Este vai ser o horário da segunda temporada da Escala Humana, coisa que nos alegra bastante, pois deixaremos de competir com a Liga dos Campeões para passar a ser transmitido num dia em que há menos desporto.

O programa apresenta poucas mudanças e consolida o seu formato com treze novos capítulos temáticos que falarão sobre coisas tão diversas como a arquitetura do vinho (tema com o qual estrearemos), um elogio à madeira ou explorações sobre o futuro das cidades. Quando dizemos arquitetura, queremos dizer arquitetura num sentido amplo, sem demasiadas distinções de escala: do design de produto ao paisagismo ou inclusive à escala territorial dos grandes vazios mesetários ou das explorações agrícolas das vinhas.

O Escala Humana é uma produção de Costa Est Audiovisuals para TVE, dirigida por Jaume Clèries, que vem, como grande parte da equipa, do mundo dos programas de livros. O que significa que sabem explicar temas abstratos que não foram concebidos para a televisão, uma experiência que foi muito útil para separar a arquitetura do seu componente visual e poder introduzir uma continuidade de discurso que vai muito além de uma coleção de projetos. Esta formação também foi útil para poder explicar como a arquitetura se adapta a estas situações mais abstratas e especulativas, ou para explicar como a arquitetura e as nossas cidades se devem adaptar a uma realidade geoeconómica verdadeiramente complicada. Este ponto de partida foi-nos muito útil quando tivemos de recuperar a dimensão visual para a atualizar e adaptar às exigências da linguagem televisiva, onde cada segundo conta.

O programa é um trabalho de equipa, e apenas dois dos membros desta equipa são arquitetos: este que vos escreve (o burro na linha da frente) e Núria Moliner, a nossa voz que é muito mais do que uma simples voz. Sem a sua sensibilidade, o programa seria muito diferente. E este facto estende-se ao resto da equipa. Não tivemos câmaras, guionistas ou realizadores: tivemos a Sònia, a Matilda, a Candela ou o Pere, e a todos os restantes. Cada um deles proporcionou curiosidades, textura e profundidade ao resultado final muito além das suas atribuições nominais.

Recentemente, Pedro Torrijos entrevistou Willian Curtis, um dos críticos de arquitetura mais importantes do mundo, que deu voz a uma das minhas obsessões, proclamando que se alguém de 16 não pode entender uma crítica de arquitetura, é porque esta não está bem formulada. O Escala Humana é um programa generalista que propõe um discurso paralelo, que seja compreensível e válido, tanto para o público em geral como para os arquitetos. Porque, se deixamos de lado os pretensiosismos idiotas que obscurecem um discurso para que não se note que não tem muitas ideias que o apoiem, na verdade não há muita diferença entre os dois discursos além de relembrar de vez em quando um pouco de terminologia específica. O resto é exatamente igual… e igualmente difícil de fazer com que pareça fácil.

Nada mais. Obrigado, mesmo muito obrigado a todos os que se interessaram pelo programa e nos ajudaram: aos convidados, aos que nos ajudaram por trás das câmaras, àqueles que atenderam ao telefone, aos amigos, às instituições… e aos que virão.

Podem ver a primeira temporada e os novos programas à medida que se forem emitindo, de maneira gratuita em TVE a la carta.

Esperemos que gostem do resultado.


Texto traduzido por Inês Veiga
Autor:
(Barcelona, 1975) Arquitecto por la ETSAB, compagina la escritura en su blog 'Arquitectura, entre otras soluciones' con la práctica profesional en el estudio mmjarquitectes. Conferenciante y profesor ocasional, es también coeditor de la colección de eBooks de Scalae, donde también es autor de uno de los volúmenes de la colección.

Deja un comentario

Tu correo no se va a publicar.

*

Últimos posts