E que gostem de cães

ARQUITETO PRECISA-SE

  • Mestrado em Arquitetura
  • De 22 a 27 anos, com mínimo de 5 anos de experiência demonstrável em projetos internacionais.
  • Excelente domínio de AutoCAD, Revit, 3ds Max e Vray, Photoshop, Illustrator, Presto, CYPE e SketchUp.
  • Computador próprio com os programas anteriormente descritos instalados.
  • Veículo próprio.
  • Nível alto de português, inglês e francês. Valorizamos o domínio de outro idioma (mandarim ou russo, de preferência)
  • Horário: De 2ª a 6ª de 9-21h. Sábados 9-14h.
  • Salário: 300€ brutos ao mês.

Se estás à procura de trabalho como arquiteto por internet, de certeza que não te surpreendem ofertas deste tipo. No entanto, talvez te perguntes «O que é que uma oferta como tu está a fazer num sítio como este?»

De facto, esta não é uma oferta de emprego real, mas, apesar do kafkiano que pode chegar a ser, é uma espécie de Frankenstein de fragmentos extraídos de ofertas reais de emprego para arquitetos, publicadas na internet.

E os meus pais, que estão tão orgulhosos de eu ter acabado o curso em cinco anos!! Espero que nunca descubram que há gente com 22 anos que já tem cinco de experiência como arquiteto.

E se és capaz de ter cinco anos de experiência como arquiteto, apesar de teres 22 primaveras, de certeza que também te deu tempo para aprenderes a utilizar todos os softwares que um atelier pode usar. E se o atelier não está disposto a pagar salários decentes ou a comprar equipamentos, nem sequer vale a pena falar de licenças… com o qual é melhor os trazeres instalados no teu computador. Talvez faltasse acrescentar que deves saber usar uma máquina de café, porque nunca sabe quando é que o dia de trabalho acabará…

Ou sim. Porque neste caso, o horário não está mal se te dizem que é até ao meio dia: quer dizer, quando tiveres trabalhado meio dia – 12 horas – já podes ir para casa. Mas não te preocupes, porque aos sábados só trabalhas cinco horinhas e tens os domingos para ti. De certeza que te dão o domingo caso necessites reler os apontamentos de mandarim ou russo.

Porque falar português e inglês é quase uma necessidade atualmente, mas ou falas mais línguas que numa Cimeira da ONU ou esquece este trabalho.

E tudo isto por 300 miseráveis euros por mês (isso sim, brutos -300€; os candidatos merecem qualificações mais censuráveis-). Sejamos sinceros, não se precisa de muito mais. Para quê pagar um aluguer se te deixam passar a vida no atelier? E resumindo, se não se tem tempo livre é difícil gastar o salário em lazer.

Caso continuas indeciso, o facto de ires trabalhar sob pressão, com alta exigência de cumprimento de prazos, talvez te sirva de ajuda. Ganhar 300€ por mês dar-te-á mais pressão do que a que têm os parafusos de um submarino.

«E que gostem de cães» já agora, pedir por pedir…  Como o título original do filme Must love Dogs, o da mulher que procura namorado por internet, que punha esta como última condição. Ser o homem perfeito não basta: giro, inteligente, divertido, educado, romântico, blá blá blá…. e se não gosta de cães, não serve.

Se é isto que oferecemos aos jovens arquitetos que querem entrar no mercado laboral, não podemos esperar que se sintam valorizados. E se nós não valorizamos o nosso trabalho, é demasiado pretensioso esperar que os clientes e a sociedade o façam.

Embora, para dizer a verdade, se este for o preço a cobrar (ou a pagar) pelo nosso trabalho e formação, seguindo a linha cinematográfica, talvez seja melhor passarmos as “segundas ao sol’.


Texto traduzido por Inês Veiga
Autor:
Arquitecto formado en la U. Europea de Madrid y la New School of Architecture and Design de San Diego (California, USA). | MArch bajo la docencia de Álvaro Siza, E. Souto de Moura, Aires Mateus, Carlos Ferrater o Fran Silvestre (con quien ha colaborado) entre otros. | Actualmente desarrolla su Tesis Doctoral sobre la materialidad de la luz natural y su carácter cinético en la obra de Siza, lo cual compagina con el trabajo del estudio (www.raulgarcia-studio.com)

Deja un comentario

Tu correo no se va a publicar.

*

Últimos posts